Ta faltando dar uma satisfação…

Pelo que vocês estão vendo, há muitos dias que eu não posto no blog. Essas últimas semanas tem sido uma loucura e minha rotina mudou completamente – não só por causa do  novo emprego.

Daqui uns dias eu posso explicar tudo com detalhes, mas envolve mudar de apartamento e otras cositas más. Quem viver verá! 😀

É só uma pausa, acho que daqui umas semanas eu já estou de volta.

pause

Bjos!

Pavê de morango e iogurte express

pavê

Esses dias minha enxaqueca habitual voltou com toda a força do universo para me tirar do sério. Quando é assim, não há paracetamol que resolva, então eu tento me distrair na cozinha mesmo, fazendo doce bem bobinho. Mas quando olhei na geladeira, não tinha ovo. Gente, que doce que eu faço sem ovo? Olhei toda e qualquer receita e até os biscoitos mais sem gracinha levam ovo. E para completar estava sem leite condensado. Sentei no sofá, botei a cuca pra funcionar e decidi usar o iogurte e a geleia de morango. Tinha um resto de pacote de biscoito champagne que tava quase indo embora então a solução foi fazer pavê light!

Ingredientes (para duas taças):

1 pote de iogurte natural

2 colheres (sobremesa) de leite em pó

1 colher (sobremesa) de açúcar refinado

1/2 vidro de geleia de morango

10 biscoitos champagne

Leite e conhaque a gosto

Morangos para enfeitar

Com um fouet, misture o iogurte com o leite em pó e o açúcar refinado. Reserve na geladeira. Quebre os biscoitos e regue-os com um pouco de leite e conhaque.

Montagem:

Em uma taça, coloque um pouco da misture de iogurte no fundo. Cubra com os biscoito já molhados. Acrescente a geleia de morango. Faça camadas nessa ordem até acabar os ingredientes. Enfeite com morango e deixe na geladeira por  pelo menos duas horas para gelar bem.

**A dica do creme de iogurte eu tirei daqui.

Quiche light com presunto e abobrinha

quiche light

Eu quase nunca confiei em receitas dessas revistas que vendem em supermercados. Mas esses dias vi uma que não resisti, que dava várias dicas de substituição de ingredientes gordurosos por outros mais mais saudáveis e menos calóricos. A receita que mais me chamou atenção foi uma de quiche, que tem substituições na massa e no recheio. Geralmente acho as substituições muito óbvias, mas dessa receita foram muito interessantes e diferentes. Depois de pronta, nem pareceu que era light – é super saborosa 🙂

Ingredientes da massa:

2/3 xícara de aveia em flocos finos (entrou no lugar de uma parte da farinha de trigo)

2/3 xícara de farinha de trigo (substituição: farinha de trigo integral)

2 colheres (sopa) de margarina (substituição: margarina light ou 1 colher de margarina)

1 gema

3 colheres (sopa) de água (ajuda a dar liga na massa, uma vez que colocamos pouca gordura)

Sal a gosto

Misture com a ponta dos dedos a aveia, a farinha, o sal e a margarina até obter uma farofa. Acrescente a gema misturada com a água e misture até a massa desprender das mãos. Modele a massa no fundo e na lateral de uma forma e coloque na geladeira por aprox. 30 min.

Ingredientes do recheio:

200g de ricota ralada

1/2 pote de iogurte desnatado (entrou no lugar do creme de leite fresco)

1 colher (sopa) de azeite

Sal a gosto

1 ovo inteiro batido

2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

150g de presunto (substituição: peito de peru light)

2 abobrinhas fatiadas em rodelas bem finas

Misture a ricota, o iogurte, o azeite e o sal. Coloque esse recheio por cima da massa. Jogue o ovo batido e polvilhe com o queijo ralado. Distribua as fatias de peito de peru intercaladas com as de abobrinhas. Leve ao forno pré aquecido em 180C por 35 minutos ou até que a superfície comece a dourar.

quiche light 2

Tirei a receita da revista DiejaJá!

Uma pequena pausa

chile

Queridos, até o dia 26 o blog não terá receitas novas porque esta pessoa que vos fala vai (finalmente!!!!) passear um pouco com o maridão em terras sul-americanas. Não deixei posts programados porque acho estranho o blog postar “sozinho”. Acho que vi Matrix demais na adolescência ou não aderi tanto à modernidade da blogosfera quanto pensava. Enfim.

Vou ali no Chile e já volto tá? Quando chegar, prometo fotos lindas e comidas incríveis, pode ser?

Bjos!

Muffin light para uma manhã gloriosa

muffin manhã

Tem vezes que a internet me deixa muito frustrada. Estava eu procurando receitas light e a maioria tinha entre 100 e 200g de manteiga. Uai, só para mim que o conceito light é a quantidade de um ingrediente (preferencialmente gordura) reduzido?

Quando estava para desistir e inventar uma receita qualquer de muffin,  finalmente achei o Cooking light . Tem AQUI 24 receitas de muffin light ou mais naturebas, do jeito que eu gosto. Gostei desse mais pelo nome  – Morning Glory – e pelos ingredientes, que tinha todos em casa. A massa dele não é super fofinha como os muffins tradicionais, mas mata a vontade de comer bolo sem estragar a dieta.

Ingredientes:

Usar xícara medidora de 240ml 

1 xícara de farinha de trigo integral

1/2 xícara de farinha de trigo

1 xícara de aveia em flocos

3/4 xícara de açúcar mascavo

1 colher (sopa) de farelo de trigo

2 colheres (sopa) de fermento químico

Uma pitada de sal

1 xícara de iogurte desnatado (deu +/- um copo e meio)

1 xícara de banana amassada (duas bananas caturra grandes)

1 ovo

1 xícara de tâmaras picadas (exclui esse ingrediente porque não sou fã de tâmaras. Você pode substituir por ameixas secas ou uvas passas)

3/4 xícara de nozes picadas (coloquei uma xícara misturando: nozes, avelãs e amêndoas picadas)

1/2 xícara de abacaxi desidratado (não usei)

3 colheres (sopa) de linhaça moída (coloquei amendoim moído e torrado para ficar mais saboroso – ninguém é de ferro né?)

Misture os cinco primeiros ingredientes (trigos, aveia, açúcar mascavo, farel, fermento e sal) e reserve. Misture o iogurte com as bananas e o ovo e reserve. Misture as nozes com as tâmaras (ou uvas passas no meu caso) e incorpore aos ingredientes secos que você misturou primeiro.

Acrescente a mistura de iogurte aos ingredientes secos + nozes e incorpore delicadamente, usando uma espátula. Coloque em 14 forminhas de cupcake e coloque um pouco de amendoim (ou linhaça moída) por cima de cada um. Asse por 25 minutos em um forno pré-aquecido em 180ºC ou até enfiar um palito e ele sair limpo.

muffin manhã 2

Cebola argentina

cebola

Minha irmã é casada com um paulista filho de argentinos (coisas de Brasil). Uma vez já fui na casa da sogra dela em São Paulo e comi empanadas argentinas no almoço tão deliciosas que nunca mais vou esquecer, mesmo tendo passado alguns dias em Buenos Aires na minha lua de mel. Tinha sido minha primeira vez com empanadas e comer uma receita de uma argentina da gema foi um privilégio, não acham?

Ela também dá várias dicas e receitas ótimas que minha irmã já me passou. Essa receita fizemos na casa da minha mãe e fez o maior sucesso além de ser a coisa mais boba de ser preparada.

Ingredientes:

Cebolas grandes inteiras (uma por pessoa, se você tiver uma família cebolenta como a minha)

Farinha de rosca a gosto

Bastante azeite

Sal e pimenta do reino a gosto

Descasque as cebolas e lave-as bem. Corte coda cebola em seis partes, no sentido vertical, sem atingir o fundo para que as pétalas não se separem completamente. Aperte a cebola apenas para que os temperos entrem dentro das pétalas. Acomoda a cebola em um ramequim e coloque aprox. uma colher (sopa) de farinha de rosca em cada uma, cuidando para espalhar dentro das pétalas. Finalize com um pouco de sal, pimenta do reino e capriche no azeite.

Você pode assar no microondas como nós fizemos. É só colocar de 5 em 5 minutos até que a cebola fique macia. Se preferir, pode assar em forno pré-aquecido em 200ºC por 15 minutos ou até as cebolas amaciarem.

Muffin de abobrinha

muffin de abobrinhaDeu para perceber que estou na vibe light né? Também ando gostando muito de refeições vegetarianas. No final parece que você fica leve e não tem aquele peso de ter que ficar inventando uma carne todo dia. Achei essa receita aqui. Moleza viu!

Ingredientes:

1 abobrinha grande ralada

1 xícara (chá) de farinha de trigo

2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

1 ovo

1/2 xícara (chá) de leite

3 colheres (sopa) de azeite

1 colher (sopa) de manjericão fresco picado

1 colher (sopa) de fermento em pó

Sal (a gosto)

Aqueça o forno a 180ºC . Unte com manteiga e farinha de trigo  12 formas de muffin ou de empadinha grande. Rale a abobrinha e coloque numa tigela.  Junte o ovo, o leite, o parmesão, sal, farinha de trigo, manjericão e azeite e misture bem. Acrescente o fermento em pó e misture novamente.  Distribua a massa entre as forminhas preparadas, preenchendo até 3/4 da capacidade de cada forma. Não encha demais as forminhas, pois a massa cresce. Leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até dourar e ao enfiar um palito, ele saia limpo. Retire do forno e deixe amornar por cinco minutos sobre uma grade.

 

Tomate recheado

tomate recheado

Para vocês meus queridos, que ainda estão tentando perder aqueles quilos extras que ganharam na comilança  festança do final do ano, entra ai no barco comigo! Essa receita é para vocês!

Ingredientes:

5 tomates longa vida bem vermelhos (mas firmes)

100g de ricota fresca ralada

Frango desfiado ou carne moída ou peito de peru… (o que estive sobrando da geladeira)

Ervas frescas a gosto (usei orégano, tomilho, salsinha e cebolinha)

Azeite e sal a gosto

Ligue o forno em 180ºC.

Corte a tampa dos tomates e tire todo o “recheio” com uma faca. Deixe todos de boca para baixo em um papel toalha por alguns minutos (para escorrer a água).

Misture a ricota, o frango desfiado (que foi o meu caso) e tempere com as ervas, o sal e azeite. Tempere também os tomates com sal e azeite e coloque o recheio sem apertar muito, para não ficar duro na hora de cortar. Asse por 30 minutos ou até quando enfiar um garfo nos tomates ele saia facilmente.

tomate recheado 2

Escrevendo Abobrinhas no jornal O Tempo

Alguns dias atrás a repórter Aline Gonçalves do jornal O Tempo, aqui de Belo Horizonte, me procurou para fazer uma entrevista comigo.  A matéria é sobre blogs de culinária e foi publicada dia 23 do mês passado, mas foi só hoje que eu vi.

Eu estou lá no finalzinho…

imagem
Todo mundo é capaz de lembrar daquele caderno de receitas, meio velho, meio aconchegante, ao qual a avó, a tia ou a mãe volta e meia recorria pra se lembrar de um prato ou pra anotar uma novidade. Ainda que essa prática felizmente ainda venha sendo preservada por algumas pessoas, é cada vez mais comum que uma outra muito similar, mas também com vários aspectos diferentes, ganha adeptos: a dos blogs de receitas. A semelhança entre o tradicional caderno é obvia: os dois tratam do registro da história culinária de famílias. A grande diferença, no entanto, é que agora esses pratos são partilhados com pessoas que vão muito além dos vizinhos e parentes, por gente que jamais imaginou ficar conhecida pelo trabalho na cozinha. “Eu comecei sem muita pretensão, queria registrar as receitas que inventava para conseguir reproduzi-las depois, já que eu nunca anotava nada”, conta a psicóloga por formação Tatiana Romano. O blog dela, o Panelaterapia criado em 2009, é hoje referência na área e alcança a marca de 1,2 milhão de visualizações de páginas por mês.

Tatiana, que nunca fez um curso de gastronomia, conta que seu interesse pela cozinha começou na adolescência, quando criava versões para o tradicional macarrão instantâneo. Porém, quando percebeu que o número de acessos ao blog crescia exponencialmente, resolveu investir. “Estudei sobre mídias digitais, fotografia, comprei equipamentos melhores: busco ser merecedora do sucesso que o Panelaterapia atingiu”, diz.

Ao enumerar esses aspectos, Tatiana observa que a questão da apresentação dos pratos influencia diretamente no sucesso da receita assim como a estratégia de escolha do que coloca no blog (ela evita, por exemplo, incluir receitas parecidas em sequência). Recentemente, o alcance das redes sociais mudou a relação com os leitores, já que há mais possibilidades, segundo ela, para conversar e responder dúvidas.

As estratégias que Tatiana utiliza não diferem daquelas de quem começou a bem menos tempo a comandar blogs de culinária, como as do casal Lígia Marcondes e Gladstone Campos. Ele, fotógrafo profissional há mais de 30 anos, reforça exatamente a questão da imagem para o sucesso e conta que seu trabalho na área de gastronomia, em revistas como a “Gula”, foi um dos incentivos para montar o Entre Pratos e Copos” há menos de um ano

“Antes de ir pra ‘Gula’, nunca tinha fotografado comida, mas comecei a me dedicar, estudar e entendi o processo. Há seis anos, conheci a minha atual esposa que gosta muito de cozinhar. Ela tem formação em história e trabalhava com designer de interiores. Há uns dois anos, Lígia quebrou o braço e resolveu passar todas as receitas para o computador, porque não conseguia desenhar”, conta ele. Como as fotos dessas receitas já estavam em mãos, os dois fizeram um livro, mas perceberam que seria muito caro editá-lo e comercializá-lo. Foi então que surgiu a ideia do blog. “Ter um blog é muito prático e barato. Hoje, temos posts
com mais de 5.000 acessos num dia”, revela Gladstone.

O sucesso imediato levou a cozinheira da dupla a se enveredar por uma área que ela nunca dominou: a dos doces, para atender aos pedidos que chegam, principalmente, via Facebook. “Eu faço o que tenho vontade, mas o blog tem uma sequência com entradas, pratos principais e sobremesas. Como eu não como doces, nunca fui de fazer nada especial até porque doce exige precisão. Agora, com a prática, estou ficando dez”, se diverte. Os doces, na visão de Gladstone, também têm um apelo visual maior. “Nosso campeão de acessos é uma mousse. Qualquer coisa com chocolate ‘bomba”, diz.

Para conseguir uma concretização maior do blog, Lígia também revela que procura fazer cursos com chefs e conta outro ponto fundamental: “O importante do blog é alimentá-lo sistematicamente; não pode pensar ‘ah, vou viajar, depois atualizo”.

Autora do blog Escrevendo Abobrinhas, a mineira Manoela Vianna também aponta a importância de atualização periódica e de buscar conhecimento para não perder o público. “Recentemente fiz um curso de pães, roscas e biscoitos porque senti a necessidade de profissionalizar mais o blog. Pretendo fazer outros ano que vem”, diz.

Para ela, é fundamental, ainda, apresentar receitas fácies e práticas, que condizem com o ritmo de vida atual. “Eu trabalho, fico muito tempo no trânsito, cuido da casa, do marido, lavo roupa. Como a maior parte dos meus leitores, quero algo que pode ser feito rápido e que seja gostoso”, explica.

No entanto, quando começou o blog, há pouco mais de um ano, sua preocupação maior era apenas resgatar as receitas que a mãe preparava e partilhá-las com as amigas. “Elas viviam me pedindo as receitas da minha mãe para fazer em casa, como surpresa para os maridos. Achei mais fácil fazer um blog para que elas pudessem ver os ingredientes e o modo de preparo”, conta.

A matéria você encontra  AQUI.

Dica: abacaxi refrescante

Minha mãe fez esse abacaxi e, desde então, fiquei apaixonada! É ótimo para dias quentes que você não quer nem sair do sofá pra não perder o vento do ventilador. Só picar um abacaxi beeem doce e misturar com hortelã picadinha, lascas de limão e de laranja. Deixe gelar por alguns minutos. Vai por mim, refresca até a alma!

%d blogueiros gostam disto: