Ta faltando dar uma satisfação…

Pelo que vocês estão vendo, há muitos dias que eu não posto no blog. Essas últimas semanas tem sido uma loucura e minha rotina mudou completamente – não só por causa do  novo emprego.

Daqui uns dias eu posso explicar tudo com detalhes, mas envolve mudar de apartamento e otras cositas más. Quem viver verá! 😀

É só uma pausa, acho que daqui umas semanas eu já estou de volta.

pause

Bjos!

Uma pequena pausa

chile

Queridos, até o dia 26 o blog não terá receitas novas porque esta pessoa que vos fala vai (finalmente!!!!) passear um pouco com o maridão em terras sul-americanas. Não deixei posts programados porque acho estranho o blog postar “sozinho”. Acho que vi Matrix demais na adolescência ou não aderi tanto à modernidade da blogosfera quanto pensava. Enfim.

Vou ali no Chile e já volto tá? Quando chegar, prometo fotos lindas e comidas incríveis, pode ser?

Bjos!

Chá de especiarias e pêssego

chá especiarias

Aqui em BH o outono começou a dar as caras só por agora. Os dias estão amenos, as noites mais frias…  Encolhida no sofá vi essa receita de chá no programa A Confeitaria – canal Bem Simples – e parece que o universo conspirou para fazer o chá. Até o maridão, que não é o mais fã de bebidas quentes, amou!

Ingredientes: 

Açúcar a gosto (depende de quão doce você gosta. Usei 4 colheres de sopa)

3 cravos

2 paus de canela

300ml de água

2 pêssegos  picados (a receita pedia maçãs)

1 colher (sopa) de extrato de baunilha

Coloque o açúcar com os cravos e os paus de canela em uma panela e ligue o fogo baixo. Deixe o açúcar escurecer, tipo caramelo. Quando isso acontecer, despeje a água fervendo por cima e misture. Acrescente os pêssegos e deixe em fogo baixo por uns 20 minutos. Retire do fogo e acrescente o extrato de baunilha. Se preferir, adoce mais. Sirva quente ou gelado.

Chá de hortelã e menta

chá de hortelã 1

Em um domingo que nossos maridos estavam trabalhando (bem, o meu tava, o dela tava no jogo do Atlético-MG) eu e minha cunhada decidimos assistir um filme na casa dela. Tava um dia péssimo para mim porque estava doente e completamente sem voz. Ela, com todo carinho que compete à uma cunhada (ela casou com o meu irmão), fez um chá tão maravilhoso que curou até a alma. Fiquei com esse chá na cabeça por um bom tempo…

O melhor da nossa amizade é que começou antes dela gostar do meu irmão então o bônus é que ela virou minha cunha do coração!

Depois de umas semanas, finalmente lembrei de pegar com ela algumas mudas das hortelãs que ela usou, exclusivamente para recriar o tal chá. As mudas cresceram e eu pude finalmente usar as folhinhas. A da esquerda é da hortelã-pimenta e a da direita é de menta:

chá de hortelã

Como vocês estão vendo, até na janela da área de serviço dá para ter plantinhas felizes!

Não tem mistério: é só ferver por cinco minutos algumas folhas da hortelã e da menta com uma fatia de limão siciliano, um pouco de mel e, se você quiser, um pedacinho de gengibre. Depois é só coar e beber quentinho =)

**Na primeira vez que eu fiz eu coloquei duas fatias de limão, o que deixou muito azedo.

Escrevendo Abobrinhas no jornal O Tempo

Alguns dias atrás a repórter Aline Gonçalves do jornal O Tempo, aqui de Belo Horizonte, me procurou para fazer uma entrevista comigo.  A matéria é sobre blogs de culinária e foi publicada dia 23 do mês passado, mas foi só hoje que eu vi.

Eu estou lá no finalzinho…

imagem
Todo mundo é capaz de lembrar daquele caderno de receitas, meio velho, meio aconchegante, ao qual a avó, a tia ou a mãe volta e meia recorria pra se lembrar de um prato ou pra anotar uma novidade. Ainda que essa prática felizmente ainda venha sendo preservada por algumas pessoas, é cada vez mais comum que uma outra muito similar, mas também com vários aspectos diferentes, ganha adeptos: a dos blogs de receitas. A semelhança entre o tradicional caderno é obvia: os dois tratam do registro da história culinária de famílias. A grande diferença, no entanto, é que agora esses pratos são partilhados com pessoas que vão muito além dos vizinhos e parentes, por gente que jamais imaginou ficar conhecida pelo trabalho na cozinha. “Eu comecei sem muita pretensão, queria registrar as receitas que inventava para conseguir reproduzi-las depois, já que eu nunca anotava nada”, conta a psicóloga por formação Tatiana Romano. O blog dela, o Panelaterapia criado em 2009, é hoje referência na área e alcança a marca de 1,2 milhão de visualizações de páginas por mês.

Tatiana, que nunca fez um curso de gastronomia, conta que seu interesse pela cozinha começou na adolescência, quando criava versões para o tradicional macarrão instantâneo. Porém, quando percebeu que o número de acessos ao blog crescia exponencialmente, resolveu investir. “Estudei sobre mídias digitais, fotografia, comprei equipamentos melhores: busco ser merecedora do sucesso que o Panelaterapia atingiu”, diz.

Ao enumerar esses aspectos, Tatiana observa que a questão da apresentação dos pratos influencia diretamente no sucesso da receita assim como a estratégia de escolha do que coloca no blog (ela evita, por exemplo, incluir receitas parecidas em sequência). Recentemente, o alcance das redes sociais mudou a relação com os leitores, já que há mais possibilidades, segundo ela, para conversar e responder dúvidas.

As estratégias que Tatiana utiliza não diferem daquelas de quem começou a bem menos tempo a comandar blogs de culinária, como as do casal Lígia Marcondes e Gladstone Campos. Ele, fotógrafo profissional há mais de 30 anos, reforça exatamente a questão da imagem para o sucesso e conta que seu trabalho na área de gastronomia, em revistas como a “Gula”, foi um dos incentivos para montar o Entre Pratos e Copos” há menos de um ano

“Antes de ir pra ‘Gula’, nunca tinha fotografado comida, mas comecei a me dedicar, estudar e entendi o processo. Há seis anos, conheci a minha atual esposa que gosta muito de cozinhar. Ela tem formação em história e trabalhava com designer de interiores. Há uns dois anos, Lígia quebrou o braço e resolveu passar todas as receitas para o computador, porque não conseguia desenhar”, conta ele. Como as fotos dessas receitas já estavam em mãos, os dois fizeram um livro, mas perceberam que seria muito caro editá-lo e comercializá-lo. Foi então que surgiu a ideia do blog. “Ter um blog é muito prático e barato. Hoje, temos posts
com mais de 5.000 acessos num dia”, revela Gladstone.

O sucesso imediato levou a cozinheira da dupla a se enveredar por uma área que ela nunca dominou: a dos doces, para atender aos pedidos que chegam, principalmente, via Facebook. “Eu faço o que tenho vontade, mas o blog tem uma sequência com entradas, pratos principais e sobremesas. Como eu não como doces, nunca fui de fazer nada especial até porque doce exige precisão. Agora, com a prática, estou ficando dez”, se diverte. Os doces, na visão de Gladstone, também têm um apelo visual maior. “Nosso campeão de acessos é uma mousse. Qualquer coisa com chocolate ‘bomba”, diz.

Para conseguir uma concretização maior do blog, Lígia também revela que procura fazer cursos com chefs e conta outro ponto fundamental: “O importante do blog é alimentá-lo sistematicamente; não pode pensar ‘ah, vou viajar, depois atualizo”.

Autora do blog Escrevendo Abobrinhas, a mineira Manoela Vianna também aponta a importância de atualização periódica e de buscar conhecimento para não perder o público. “Recentemente fiz um curso de pães, roscas e biscoitos porque senti a necessidade de profissionalizar mais o blog. Pretendo fazer outros ano que vem”, diz.

Para ela, é fundamental, ainda, apresentar receitas fácies e práticas, que condizem com o ritmo de vida atual. “Eu trabalho, fico muito tempo no trânsito, cuido da casa, do marido, lavo roupa. Como a maior parte dos meus leitores, quero algo que pode ser feito rápido e que seja gostoso”, explica.

No entanto, quando começou o blog, há pouco mais de um ano, sua preocupação maior era apenas resgatar as receitas que a mãe preparava e partilhá-las com as amigas. “Elas viviam me pedindo as receitas da minha mãe para fazer em casa, como surpresa para os maridos. Achei mais fácil fazer um blog para que elas pudessem ver os ingredientes e o modo de preparo”, conta.

A matéria você encontra  AQUI.

Inspiração para festas de verão

Amo o verão!! Bom demais todo final de semana ser uma oportunidade para uma banho de piscina, não é mesmo? Só ta faltando a piscina 🙂

Olha que dicas ótimas para festas na piscina ou, no meu caso, churrascão na lage (hehehehe).

Copo de refresco não é piscina, embora alguns bichinhos insistam em dar seus mergulhos na bebida alheia. Para evitar banhistas inconvenientes nas refeições ao ar livre, uma boa saída é cobrir os drinques com formas de papel para cupcake, com um furo para o canudinho. Rogério Voltan / Casa e Comida

Hit entre a garotada, o geladinho também é uma maneira divertida de oferecer um drinque para os convidados mais crescidinhos. A versão frozen de coquetéis pode ser servida como boas-vindas. Rogério Voltan / Casa e Comida

Na mesa posta, cada convidado tem seu recipiente com gelo para manter a cerveja ou o refrigerante no ponto. Bebida quente, nunca mais! Rogério Voltan / Casa e Comida

Sirva picolés em uma taça e adicione uma boa dose de espumante. Os convidados agradecem. Ricardo Corrêa / Casa e Comida.

As fotos e os textos são DAQUI.

Ah! Não se esqueçam de votar no Escrevendo Abobrinhas no Topo Blog 2012. Só clicar AQUI.

 

Um motivo nobre para sumir: curso de pães!

Blog de receita, ao contrário do que muitos pensam, dá uma trabalheira danada. Entre pesquisar, ler e fazer a comida, tem muito trabalho no meio. Não dá para postar qualquer coisa, ainda mais que muita gente copia exatamente as dicas do blog. Comida é coisa séria. Mas também gente, vamos combinar,  quem gosta de comer comida ruim? É pior ainda quando você copiou a receita de alguém que disse que deu “super certo” e na hora H o treco da todo errado e você acaba com uma gororoba no prato e muita raiva do bendito que postou/indicou a receita sem testar. Já aconteceu comigo, infelizmente.

Por isso que essa semana vou fazer um delicioso curso de Pães, roscas e biscoitos. Mesmo achando que o que minha mãe me ensinou me deu uma boa bagagem, aprender nunca é demais né? Ainda mais que acho que cursos sempre dão ideias novas, receitas inéditas, etc. Esse é mais um passo para deixar o blog cada vez melhor para vocês, meus queridos leitores. E até minha mãe, que eu acho que é a melhor cozinheira do mundo, fez 32 cursos nessa área (sério!!).

O curso que vou fazer é no SENAC – BH, na área de hospitalidade. É de 20 horas, então, entre trabalhar 7h por dia e sair correndo pro curso (4h por dia),  além do tempo gasto no trânsito, vai sobrar pouco tempo para cozinhar. E sem cozinhar, sem receitas novas 😦

Prometo que vai valer a pena. Assim que terminar o curso, vou rechear o blog de coisas novas que vou aprender por lá.

**Tem vários outros pequenos cursos lá no SENAC aqui de BH, dá uma olhada AQUI. Se você quiser, tem em outras cidades também. Fuça ai 🙂

Licor de chocolate caseiro

Isso mesmo que você leu, licor caseiro! Já postei várias receitas da minha sogra aqui mas acho que essa é campeã. É tão fácil de fazer que você nem acredita… Imagina dar de presente? Amei!

Ingredientes:

200g de açúcar

200ml de água filtrada

3 colheres (sopa) de cacau em pó (se colocar chocolate em pó não fica com uma cor bonita)

1 lata de leite condensado

300ml de rum ou de cachaça de boa qualidade

1 colher (café) de essência de baunilha

Em uma panela, misturar o açúcar, água filtrada e o cacau em pó.  Deixar em fogo baixo, sem misturar muito, até o açúcar dissolver completamente. Deixar esfriar. Depois de frio, bater no liquidificador com o leite condensando. Despejar em uma jarra e acrescentar o rum (ou cachaça) e a essência de baunilha. Misture bem. Esterilize bem uma garrafa (pode ser velha, de outra bebida ou de água. Mas tem que ser de vidro ok?), despeje todo o líquido dentro dela com um funil e tampe-a com uma rolha.

O ideal é que você deixe 30 dias descansando. Toda vez que antes de beber sacudir bem a garrafa porque o cacau deposita no fundo. Mas se você é como eu e não aguentou esperar aproveite! Maravilhoso depois de um almoço de domingo 🙂

*Essa receita minha sogra aprendeu em um curso de licores, da loja Maria Chocolate, Belo Horizonte – MG.

** Os figos LINDOS caramelizados com nozes da foto são da loja Mazé Doces, de Tiradentes-MG.

Sucos naturais

Estou numa onda mais light para tentar perder alguns quilinhos que ganhei nos últimos 15 dias – eu estava de férias. Resolvi investir nos sucos naturais, com bem pouco açúcar, para ingerir a maior quantidade de água possível e ajudar a dissolver os pneuzinhos.

O primeiro que eu fiz é bem simples: como tinha 1/4 de melancia dando sopa na geladeira, bati a polpa no liquidificador com um pouco de água (+/- 300ml) e passei na peneira. Depois bati com banana (tinha acabado de ver a dica do ator Marcol Palmeira no programa VideoShow e fui fazer). Ficou fantástico! Não precisa de açúcar, porque a melancia oferece o doce na medida.

Comprei também 400g de acerolas bem fresquinhas. Bati no liquidificador com 300ml de água e 6 colheres (sopa) de açúcar. Passei na peneira e congelei em fôrmas de gelo, para facilitar o descongelamento quando eu quiser usar. Não congelei 1 copo da polpa, que bati com pedaços de mamão e polpa pronta de maracujá.

Você pode basicamente fazer essa polpa com várias outras frutas. O segredo é sempre colocar algumas colheres (sopa) de açúcar na hora de bater porque é o ele que conserva e mantém o sabor da fruta no freezer.

%d blogueiros gostam disto: