Salsa e porque amo esportes

salsa 1

Não me pergunte porque, eu sempre gostei de ver competições de esportes pela TV. Quando começa uma olimpíada, eu praticamente colo no sofá e vejo todas as modalidades, inclusive aquelas que a maioria nem sabe que existe. Sou viciada em jogos de inverno, por motivos que ainda vou encontrar. Depois de casar, eu descobri as maravilhas da NBA (liga de basquete americano) e da NFL (liga de futebol americano) e me peguei torcendo fervorosamente por times que há dois anos atrás eu nem sabia o nome. Ossos do ofício quando se casa com um atleta 😀

No meio disso tudo, comecei a praticar Taekwondo. Depois de três anos e meio e uma gravidez, muito suor, dor e canelas roxas, hoje sou faixa preta. Nem precisa falar dos benefícios para minha saúde (e, claro, para o meu abdômen… Não é fácil perder aquela pança pós parto) mas também de como praticar uma arte marcial três vezes por semana melhorou minha coordenação motora, concentração, disciplina e persistência. Eu posso ficar aqui até amanhã falando sobre tudo de maravilhoso do Taekwondo, mas acredito que você tem que descobrir por você mesmo. Enquanto isso, aqui vai uma receita perfeita para dias de jogos da NFL (Superbowl é daqui 15 dias) ou, para vocês que gostam, para dias de futebol da bola redonda mesmo.

Ingredientes:

4 tomates italianos (aqueles pra molho)

2 cebolas

4 dentes de alho

2 pimentas dedo-de-moça

1 colher (sopa) bem rasa de açúcar mascavo

Salsinha a gosto

Azeite e sal a gosto

Corte os tomates ao meio e as cebolas em quatro pedaços. Ajeite no tabuleiro untado com azeite. Acrescente os dentes de alho descascados, as pimentas inteiras (sem as sementes) e polvilhe tudo com o açúcar e o sal. Acrescente mais um fio de azeite.

Deixe assar em forno pré aquecido em 200 graus por 50 minutos, ou até os tomates amolecerem. Retire tudo no forno e bata no processador com a salsinha por alguns segundos. Sirva como acompanhamento.

No meu caso, eu cortei uma baguete italiana em pedaços, cobri com carne moída (que sempre tenho pronta no meu congelador) e gratinei com muçarela. Botei um tantão de salsa por cima e fui ser feliz…

salsa 2

OBs: achei essa salsa mais gostosa do que essa outra receita que eu fiz, além de que é muito mais fácil de fazer.

Fritada espanhola

fritada

Gente, não sei se é espanhola, portuguesa ou brasileira. Só sei que um dia vi essa receita no programa do Gordon Ramsay (meu chef favorito de todos os tempos) e fiquei doida pra fazer. O engraçado é que eu achei que era simplesmente um omelete gigante e, felizmente, me enganei. É ótima pra dispensar aquele monte de restinhos da geladeira e, no meu caso, um monte de ervas que minha mãe trouxe da “pequena” horta dela.

Eu ando numa vibe meio orgânica principalmente por causa da amamentação. No meu caso é bem fácil e bem barato de ter esses produtos a mão: meus pais tem um pequeno sítio que criam galinhas, frangos e coelhos e cultivam uma infinidade de legumes, verduras e frutas. Uma vez por semana eles mandam quase um sacolão pra mim – e quem sou eu pra reclamar?

Ingredientes:

2 batatas médias cortadas em rodelas

Ovos (usei 5 orgânicos,  das galinhas que minha mãe cria)

Cheiro verde picado

Alecrim fresco picado

Flores e folhas de manjericão roxo

1 pimentão vermelho picado

Frango desfiado (ou o que você tiver na geladeira)

Queijo minas ralado

Cozinhe as batatas al dente. Disponha-as em uma frigideira antiaderente grande e regue com azeite. Cubra com o queijo ralado.

Em uma vasilha, bata os ovos com as ervas e temperos que desejar. Despeje por cima das batatas, tampe e leve a frigideira ao fogo baixo. Depois de uns 3 minutos, acrescente o pimentão e o frango por cima e tampe novamente. Deixe mais alguns minutos no fogo baixo e sirva em seguida.

 

Salada de grão de bico com bacalhau

salada de grão de bico1

Assim que minha gravidez foi chegando no último mês, minha mãe e minha sogra me mandavam comidas prontas regularmente, ou sempre que podiam. Minha sogra é mais na onda prática: mandou carnes de todos os tipos cozidas e congeladas. Já minha mãe, que gosta mais de inventar moda, me mandou bacalhau, tapioca, frutas de todos os tipos, biscoitos… De qualquer forma, as mamães cobriram toda a minha necessidade nutricional antes do Josué nascer e principalmente nas duas primeiras semanas de nascido.

Tem aquela velha história que a gente só entende a mãe depois que se torna mãe.Na verdade, eu e minha  mãe sempre nos demos muito bem por termos personalidades muito parecidas. Depois que eu saí de casa, a relação mudou  para algo mais de companheirismo, o que foi uma grata surpresa para mim. Com o nascimento do Josué, ela foi para minha casa e cuidou de tudo… Lavou minha roupa, arrumou minha casa, fez comida – tudo para que eu ficasse por conta de me recuperar do parto (mesmo sendo normal as dores são bem fortes) e de amamentar o pequeno.

Essa salada eu fiz com o bacalhau que ela me deu. Achei uma ótima dica para almoço do dia das mães, porque é algo que vc pode deixar pronta na geladeira no dia anterior, para facilitar.

Para minha mãe que, acima de tudo, agora é minha parceira.

Ingredientes:

1/2 pacote de grão de bico cozido (depende muito da quantidade de salada que vc quer. Para mim, meio pacote rende muito!)

300g de bacalhau cozido e desfiado

1/2 vidro de azeitonas portuguesas (aquelas pretinhas, bem pequenas)

1 pimentão vermelho picado e cozido em água (ou cru, se preferir)

1 cebola picada

Cheiro verde picado a gosto

Ovos cozidos para enfeite

É só misturar tudo delicadamente e temperar com sal, limão e muito azeite. Se quiser, pode colocar um alho picadinho.

Uma nova vida – ser mãe

Depois de vários meses longe do blog, bateu uma saudade esses dias. Desde que engravidei, foi ficando difícil escrever aqui. Não por falta de tempo – estava em um emprego com horários bem flexíveis – mas por falta de vontade mesmo. Culpe os hormônios ou seja lá o que, minha vontade de cozinhar coisas diferentes foi acabando junto com os meses da gravidez. Ainda mais depois de ficar com uma barriga meio grande que molhava toda vez que chegava perto da pia. Ah! Bota no bolo ai que eu tava no processo de mudança de apartamento.

O que foi o samba de crioulo doido é que o mocinho não quis mais ficar dentro da minha barriga e resolveu sair com 37 semanas. Estávamos contando que ele fosse aparecer lá pelo dia 18/04 e acabou que ele nasceu dia 2. Não posso reclamar de nada, afinal eu tive um trabalho de parto indolor. Parece mentira: o processo todo demorou só 4 horas depois que minha bolsa rompeu e as minhas contrações eram mais parecidas com leves dores de barriga. Até cochilei na bloco cirúrgico esperando dilatar. Só me deram anestesia porque o médico disse que era para garantir, porque tinha muito tempo que ele não via uma grávida sem dor. E por fim nasceu o Josué, de parto normal mais tranquilo que eu podia imaginar.  Lindo, cabeludo e saudável.

Depois das 3 primeiras semanas bem tranquilas (um recém nascido praticamente só mama e dorme) eu e o maridão estamos passando aperto. Ele resolveu mostrar as gengivas e começou a dar ataques de choro que parecem intermináveis antes de dormir. Coisas de bebe, mas que enlouquece uma mãe que não dorme uma noite inteira faz apenas uns …. 30 dias. Mas apesar disso, estou curtinho bem os dedinhos, a mãozinha, os barulinhos de neném… Toda essa bobice que a gente jura que não vai ter depois que ele nascer.

Mas o melhor disso tudo, eu garanto a vocês, é poder amamentar. Eu acho fascinante o mocinho engordar e crescer todos os dias por causa exclusivamente do leite do peito, que vem de mim. Graças a Deus ele mamou bem desde a primeira vez. Não consigo imaginar motivo que algumas mulheres escolhem não amamentar. É o melhor presente de ser mãe.

Enfim, eu já separei algumas receitas pra postar e nos próximos dias vou contando as novidades.

 

Voltei, baby!

Bolo de reis

bolo de reis

Vendo inúmeros programas de culinária, eu cheguei a uma conclusão curiosa: eu gostaria de viajar por inúmeros países só para o simples fato de comer o que tem de melhor lá. Meu marido brinca dizendo que isso é “alma de gordo”, que eu só penso em comida. Não quero saber de passeio, só de comida!!! Isso já foi definido como fato quando passei na porta de um dos hotéis mais luxuosos da América Latina no Chile e disse: “imagina o que tem no café da manhã nesse hotel!”.

Em uma das propagandas do programa Sem Reservas, do Antony Bourdain, ele diz que a comida é a clara expressão da cultura de um país. Isso já foi comprovado e dito milhões de vezes né não? Esse bolo (que encontrei a receita na Revista Casa e Comida, edição Especial Festas) mostra bem uma parte dos nossos costumes católicos e da nossa própria cultura bem do jeito que ela é: uma mistura de várias. Dizem que a receita é originalmente portuguesa, mas que foi inspirada em um costume francês. Aqui dizemos que devemos comer o bolo para celebrar a adoração do menino Jesus por Gaspar, Belchior e Baltazar, os três Reis Magos.

Tendo motivo ou não, esse bolo é delicioso e super simples de fazer e decorar. É uma ótima opção para quem tem frutas cristalizadas sobrando do natal. E pode comer qualquer dia do ano 🙂

Ah! Feliz 2014 pra todos!

Ingredientes:

270g de açúcar

250ml de água

100ml de vinho do porto

360g de farinha de trigo

40g de manteiga sem sal

20g de óleo de canola

1 ovo

8g de fermento em pó

4g de bicarbonato de sódio

Uma pitada de sal

150g de passas brancas

150g de frutas cristalizadas

120g de nozes

Nozes, cerejas em calda e mais frutas cristalizadas para decoração

Ferva a água. Acrescente as passas e as 150g de frutas cristalizadas, cubra e deixe descansar por 20 minutos. Em seguida, junte o vinho e deixe descansar por mais 10 minutos.

Derreta a manteiga, misture o óleo e junte à mistura de vinho e frutas. Peneire os ingredientes secos e acrescente à mistura de frutas. Junte o ovo batido e as nozes picadas. Misture delicadamente até obter uma massa homogênea (não precisa de bater na batedeira).

Coloque em um fôrma redonda e leve ao forno pré aquecido em 180C por aproximadamente 50 minutos.

Para a cobertura de fondant branco:

30 ml de leite integral

180g de açúcar de confeiteiro

Suco e raspas de 1/2 limão

Aqueça o leite e junte o açúcar, misturando bem. Acrescente o suco e as raspas de limão e misture um pouco mais. Deixe esfriar.

Retire o bolo do forno, cubra ainda quente com o fondant branco e decore com as nozes e as frutas cristalizadas.

Cookie leve com gotas de chocolate

cookie leve com chocolate

Depois da fase dos enjôos, náuses, raiva de comida e tudo mais, entrei na fase da gravidez que meu marido carinhosamente apelidou de fase do “leitão”. Eu basicamente como tudo que vejo pela frente e depois de duas horas tá lá o estômago roncando. Gente, é como se eu não tivesse comido nada na vida.

É óbvio que o meu obstetra ia dizer que engordei acima da média e que eu devia cortar doces, refrigerantes e essas coisas. Eu ainda acho que não estava comendo tantos doces assim, mas como eu não confio no meu estômago, resolvi cortar completamente o açúcar e tentar diminuir o tamanho das minhas refeições (adeus prato de pedreiro!).

Pra despedir das minhas guloseimas, resolvi fazer um cookie com bem pouca gordura, mesmo tendo um tanto bom de açúcar. Acho sempre muito difícil achar biscoitos com pouca gordura que sejam de fato bons, porque não gosto deles duros. Aprendi uma dica – juro que não lembro onde – de colocar uma banana amassada na massa que faz o papel da gordura, deixando o biscoito macio. Meu único arrependimento foi ter feito eles tão grandes porque ficaram meio feinhos… Mas são de fato bem leves, com o gostinho do chocolate no fim. Adorei!

Receita adaptada daqui.

Ingredientes:

45ml de óleo de canola

45ml de mel

3/4 xícara de açúcar mascavo

1/4 xícara de açúcar

1 colher (sobremesa) de extrato de baunilha

3 claras de ovos

1+ 1/4 xícara de farinha de trigo

1 +1/4 xícara de farinha de trigo integral

1 colher (café) de bicarbonato de sódio

1 pitada generosa de sal

1 banana caturra amassada

100g de chocolate meio amargo picado ou em gotas

Em uma vasilha pequena, misture o óleo e o mel. Acrescente  o açúcar mascavo e o branco e misture bem. Acrescente o extrato de baunilha e as claras de ovo, sempre misturando.

Em outra vasilha grande, misture as duas farinhas, o sal e o bicarbonato. Acrescente a mistura de açúcar, a banana amassada e os pedaços de chocolate e misture bem. Tampe a vasilha e deixe na geladeira por pelo menos uma hora.

Pré-aqueça o forno em 180C. Retire a massa da geladeira e, usando duas colheres, despeje pedaços da massa em um tabuleiro forrado com papel manteiga untado. Asse por 8 minutos ou até os cookies corarem.

Sobre temperos prontos e frango assado

frango assado

Depois de ver a propaganda de um produto chamado “Meu frango assado” que promete um frango assado lindo, suculento e com um molho lindo (tudo dentro de um saquinho) resolvi comprar o tal negócio pra ver se a propaganda era enganosa ou não. Mesmo desconfiada.

O meu “problema”é que tenho o hábito de ler os ingredientes de tudo que é industrializado, pricipalmente temperos. Fiquei chocada quando vi que eram apenas várias ervas,limão desidratado, sal e trocentos conservantes de todos os tipos. Junto com o saquinho para assar, a mistura de temperos custa R$5. Oi?

É claro que resolvi fazer a mistura em casa. Eu já tenho uma receita bem gostosa de frango assado, mas queria algo diferente. Eu também já uso o saquinho para assar há um bom tempo – ele de fato deixa a carne bem mais molhadinha, além de ter o bônus de não sujar o forno com a gordura da carne.

Não se enganem: eu não sou completamente contra temperos prontos. Gosto de ter caldos de galinha e carne em cubos na geladeira para sopas ou carne de panela. O segredo é que eu sempre uso metade ou até 1/3 do cubo. A ideia é dar uma potencializada no MEU tempero, e não encobri-lo com aquele gosto forte artificial.

Gente, o frango ficou EXTRA suculento, soltando do osso e delicioso. Vou adotar essa receita forever. Acho que o que faltava na minha era o limão, que dá um azedinho quase imperceptível, mas que fica ótimo no molho.

Ingredientes:

4 coxas com sobrecoxas, separadas e sem pele (grávida tem que maneirar na gordura né?)

1 colher (café) de tomilho

1 colher (café) de salsa desidratada

1 colher (café) de orégano

1 colher (café) de cebola desidratada

1 colher (café) de páprica picante

1 colher (café) de alho amassado

1 colher (café) de sal

Suco de 1/2 limão

1 colher (café) de azeite

1 colher (café) de amido de milho (para o molho)

“Amasse” todos os temperos em um pilão, até que fique bem homogêno. Coloque os pedaços de frango dentro do saco próprio para assar carnes (você acha um pacote com 10 em supermercados) e despeje o tempero por cima. Misture bem, até que todos os pedaços fiquem bem temperados. Feche o saquinho,faça alguns furos com uma faca, coloque em um tabuleiro e asse por 45 minutos em forno pré aquecido em 220C.

Molho: Depois de retirar do forno , com bastante cuidado (o saquinho fica bem quente) faça um furo grande e retire os pedaços de frango. Despeje o molho que formou no fundo do saco em uma panelinha. Retire o excesso de gordura com uma concha e deixe ferver por alguns segundos. Acrescente o amido de milho dissolvido em um pouco de água e ferva mais um pouco. Teste de sal e sirva junto com o frango.

Voltei gente, vem pra cá!

Depois de algumas semana (ops – chegou a meses né?) resolvi voltar com as atividades do blog. Como disse no último post, passei por mais uma vez uma reviravolta e o blog ficou em segundo plano.

Na verdade, tive outros motivos para dar uma parada. Quando vc faz um blog VOLUNTARIAMENTE, ou seja, eu não recebo NADA para fazer os posts, muitas pessoas se vêem no direito de ofender gratis. E incrível o tanto de gente que dá feedbacks ótimos para mim.  A parte ruim é que vem os enchedores de saco na mesma proporção. O jeito é rir com minhas companheiras blogueiras, que passam pela mesma coisa.

Mas o REAL motivo que parei foi porque estava muito difícil cozinhar nesses últimos tempos. Tive que recorrer a minha querida sogra e ao meu querido pão com ovo várias vezes. Isso porque tinha uma “coisinha” roubando toda a minha energia e minha saúde estomacal. Para quem não adivinhou: estou grávida!

maternidade foto

Agora estou com 14 semanas (entrei no segundo trimestre) e estou começando a me sentir gente de novo. Parei de passar mal todos os dias, mesmo que me sinto péssima no final da tarde. Ainda não consigo comer feijão ou beber leite (minhas comidas preferidas do mundo) e só de pensar nelas, o estômago já embrulha.

Acho que agora vou voltar a tentar receitas novas e quem sabe eu consigo ficar acordada de tarde para fazer as fotos delas. Não prometo a mesma frequência de posts de antes, mas juro que vou me esforçar viu amigos?

Ah! Acima de tudo isso, estou mudando de apartamento. Vida boa é vida agitada neam?

Ta faltando dar uma satisfação…

Pelo que vocês estão vendo, há muitos dias que eu não posto no blog. Essas últimas semanas tem sido uma loucura e minha rotina mudou completamente – não só por causa do  novo emprego.

Daqui uns dias eu posso explicar tudo com detalhes, mas envolve mudar de apartamento e otras cositas más. Quem viver verá! 😀

É só uma pausa, acho que daqui umas semanas eu já estou de volta.

pause

Bjos!

Filé ao molho madeira

filé ao molho madeira

Sonho dessa pessoa aqui era de fazer um molho madeira. Eu não conseguia achar o tal do vinho madeira em local nenhum existente em BH e não tava muito entusiasmada para comprar online. Fuçei durante muito tempo na internet e fui deixando um filé no congelador aqui em casa só esperando… Como é uma carne mais cara, não queria fazer nada muito diferente com medo de ficar ruim.

Depois de muita pesquisa, achei a tal receita. Sabe o  mais irônico? Eu li, escrevi os ingredientes e nunca mais achei o link denovo. Por isso eu não sei a quem dar o crédito à essa receita maravilhosa que conquistou meu coração porque é a coisa mais fácil de fazer. Finalmente fiz molho madeira!

Ingredientes:

Pedaço de +/- 400g de filé mignon já limpo

1 colher (sopa) bem cheia de manteiga

1 cebola

200ml de vinho branco seco

1 vidro pequeno de champignon fatiado

1 colher (chá) de amido de  milho

Sal a gosto

Firme o pedaço de carne com barbante culinário, para que ele fique bem firme. Coloque a manteiga em uma panela de pressão pequena e acenda o fogo baixo. Quando derreter coloque a carne e frite todos os lados dela, até ficar bem corada e o fundo da panela bem “sujo”, como se estivesse grudando. Acrescente a cebola picadinha e deixe ela refogar bem na manteiga. Acrescente o vinho, um pouco de sal (se preferir pode usar 1/2 tablete de tempero de carne pronto, fica gostoso também) e complete com água até quase cobrir a carne. Quando ferver, tampe a panela de pressão. Quando pegar presão, deixe no fogo baixo por 30 min.

Abra a panela e enfie um garfo na carne – se ele sair facilmente, a carne está cozida. Retire ela da panela e reserve por alguns minutos antes de cortar, para que ela não solte água. O molho que ficou na panela deve ficar escuro. Eu gosto de diminuir ele um pouco, para ficar bem saboroso. Dissolva o amido de milho em um pouco de água e coloque no molho, só  para dar aquela “espelhada”. Ajuste o sal e acrescente os champignons. Corte a carne e sirva ainda quente.

%d blogueiros gostam disto: