Santiago, Valparaiso e Viña del Mar em oito dias

Vinícola Cousiña  Macul (44)

Cá estou eu, de volta das minhas andanças. Pensei muito se ia escrever esse artigo ou não, já que estamos em um blog de culinária. Mas… Quando fui pesquisar para fazer minha viagem as dicas abaixo fizeram TODA a diferença! Para quem tem pavor de pacotes de agências como eu, planejar a viagem não tem muito mistério e é só ficar atenta à alguns detalhes.

Na verdade os passeios todos foram feitos em seis dias, pois um foi a viagem de ida e o outro a viagem de volta. Fomos de BH-SP e SP- Santiago. As passagens foram de promoção , uma vez que estamos em baixa temporada no Chile (lá é outono, como no Brasil). Não tivemos nenhum problema com atraso de vôos ou perda de bagagens.

Hospedagem: Nos hospedamos no Hotel Orly que fica no bairro Providencia, ao lado do centro. Ele foi campeão esse ano do Traveller’s Choice do Trip Advisor. O melhor desse hotel é que você tem a opção de ficar nos apartamentos recém reformados – tipo apart-hotel com cozinha, sala e quarto – e também usufruir dos benefícios do hotel, como café-da-manhã e lanche da tarde. Minhas sugestão é que você se hospede em um hotel perto de qualquer estação do metrô, vai facilitar a sua vida na hora de passear pela cidade.

Transporte: Para nos locomover pela cidade usamos basicamente o metrô e taxi algumas vezes. Cada passagem do metrô fica numa média de R$2,70 porque o preço muda nos horários de pico. Os táxis pagamos sempre por volta de R$10,00, tirando a ida e volta do aeroporto que ficou +/- R$80,00. O metrô é enorme e dá para chegar a todos os pontos turísticos com ele. Ele é super bem sinalizado então não tem como ficar perdido se você souber a direção que você vai – ai é só olhar no mapa. Dica importante: evite pegar o metrô entre 18h e 19h. Fomos todos lindos e arrumados para o Teatro e quando chegamos no metrô ele estava lotado e ficamos praticamente prenssados nos vagões, estilo lata de sardinha.

Metro

Dia 1: Fomos nos pontos mais tradicionais. Plaza de la Moneda, Plaza de Armas e Mercado Municipal. Descemos na estação La Moneda da linha vermelha. Visitamos o Centro Cultural La Moneda. Você pode ver a troca de guarda (acontece nos dias pares nos meses de janeiro, abril, maio, agosto, novembro e dezembro; e nos dias ímpares nos meses de fevereiro, março, junho, mulho, setembro e outubro). Fomos a pé para o resto, passeando pelo Paseo Ahumada, que é o centro de compras de Santiago. Foi aqui que compramos casacos de couro por R$60 reais e outras peças de roupa com preços incríveis!

Plaza de Armas (22)

Esse solzinho salvou as mãos de congelarem na Plaza de Armas

Dia 2: Seguimos para o que eu achei ser o melhor que vi na cidade: La Chascona. Essa foi a casa que Pablo Neruda construiu para sua amante e terceira esposa Matilde. É imperativo fazer reserva pelo e-mail tiendalachascona@fundacionneruda.org. Logo ao lado fica o funicular do Cerro San Cristóbal. A vista lá de cima é incrível! Descemos na estação Baquedano (linha vermelha) e fomos a pé.

Cerro San Cristóbal - Funicular (5)

Eu felizinha da silva

Dia 3: Valparaiso e Viña del Mar. Você pode escolher ir pelas empresas de turismo que te pegam na porta no hotel, mas por pessoa fica cerca de R$150,00. O que fiz foi comprar bilhetes na empresa TURBUS no primeiro dia (tem guichês deles em várias estações de metro, como a Universidad de Chile). Pagamos por pessoa, ida e volta,  R$18. Para pegar o ônibus você deve descer na estação Universidad de Santiago e ir para o Terminal Alameda (que fica em frente à saída da estação). o ônibus saiu 7h45 em ponto e chegamos na rodoviária de Valparaiso 9h30.

Em Valparaiso fomos em outra casa do Pablo Neruda, a La Sebastiana. Sugiro ir de táxi da rodoviária até lá – tentamos pegar o ônibus mas lá não existe ponto!!! Os inúmeros ônibus param numa rua e você tem que ir caçando eles. Depois de 40 minutos desistimos. Da La Sebastiana para o porto fomos de ônibus, que pegamos na porta, no único ponto da rua. Ai fica mais fácil né?

Essa é a vista que Pablo Neruda tinha todos os dias ao escrever...

Essa é a vista que Pablo Neruda tinha todos os dias ao escrever…

Fomos em dois” ascensores” (elevadores que sobem os níveis das ruas e tem vista panorâmica) e depois de passearmos a pé pela cidade e visitarmos o porto, pegamos o metrô de superfície para Viña del Mar. Descemos na estação Miramar e fomos passear na orla a pé. Depois fomos para o centro da cidade a pé também e de lá pegamos o metrô de volta a Valparaíso. Na rodoviária, voltamos para Santiago.

Viña del Mar (57)

Precisa de mais?

Dia 4: Visitamos o Cerro Santa Lucia (pronuncia-se luzia), que também tem uma vista maravilhosa. Na volta fomos ao Museo de Bellas Artes (ao lado) e andamos até o Pátio BellaVista. O point lá é a noite, mas de tarde também dá para visitar as lojas de artesanato e comer nos restaurantes. A noite vimos um concerto de piano no Teatro Municipal (pegamos um folheto na rodoviária e vimos a programação – foi pura sorte!) e fomos novamente ao Pátio a noite, para jantar. Depois das 22h tinha vários restaurantes com música ao vivo, inclusive o nosso.

Cerro Santa Lucia (3)

Vista de um dos mirantes do Cerra Santa Lucia

Dia 5: Separamos o dia para visitar a vinícola. Fomos à Consiño Macul porque a Concha y Toro estava fechada. Qualquer uma das duas precisa de agendamento prévio, feito no site. A visita é rápida, mas muito legal. Descobrimos várias curiosidades sobre fabricação de vinhos. Para chegar lá é só pegar a linha azul do metro e descer na estação Quilim. De lá pegue um taxi. Na volta, fomos à feira de artesanato que fica no final da linha vermelha, na estação Los Dominicos. A feirrinha tem muitas lojinhas para turistas e pequenos restaurantes com uma comida ótima. Depois é só relaxar no parque em frente, que é lindo.

Vinícola Cousiña  Macul (13)

Como já tinha passado a época de colheita, não vimos as uvas

Dia 6: esse dia deixamos livre para voltar onde quiséssemos. Resolvemos ir novamente ao Paseo Ahumada e na Plaza de Armas, porque estava muito cheio quando fomos no primeiro dia.

Compras: todo lugar que você anda pela cidade você encontra as lojas Ripley, Paris e Johnson’s. São lojas enormes e onde você encontra os melhores preços. Sugiro as do Paseo Ahumada, que tinham coisas mais baratas. Achei as lojas Parque Arauco muito caras, mas você encontra todas as marcas que você imaginar. Comprei na Zara de lá, que parece mais uma C&A de tão lotada! Só ai encontrei preços melhores que no Brasil. A loja da MAC também tinha preços mais caros que no free shop. O DutyFree de Santiago é bom, mas não tem MAC. Essa você encontra só em SP com preços ótimos.

Se você quer Vichy, LaRoche, L’Oreal, etc. você encontra em todas as farmácias de lá com preços melhores que no Brasil.

Comida: não achei a comida nem cara e nem barata –achei os preços justos. As porções são sempre bem grandes e a comida chega em cinco minutos, sem exceção. Se você não gosta de peixe, nem tente. Até as porções de carne vem com camarão! E eles sabem fazer peixe viu? Não sei o que dá nos restaurantes do Brasil que salmão é quase pedra. Os de lá são feitos perfeitamente. Comi também um tal de pastel de choclo, que é uma gamela com creme de milho com recheio de frango e carne moída. Comemos também no fast-food de lá, o Doggies, que tem cachorro quente com abacate. Aliás, quase tudo lá vem com abacate, o que eu adorei.

Restaurante Ocean's Pacific (26)

Esse é o Volcano, uma mistura de carnes de porco, boi e peixes. Comemos no restaurante temático mais legal que já fui: o Ocean’s Pacific.

Essa é só uma das inúmeras salas de jantar do restaurante. Os detalhes são impressionates!

Essa é só uma das inúmeras salas de jantar do restaurante. Os detalhes são impressionates!

 A maior parte das dicas em encontrei no blog do Ricardo Freire, o Viaje na viagem. Lá tem mais dicas para você que pensa em ir em outras cidades ou conhecer as estações de esqui.

Qualquer dúvida, é só comentar abaixo 🙂

Anúncios

Comments

  1. Leva nóis na próxima!
    Beijos
    Sara + Francisco

  2. Manu, muito legais as suas dicas! Jornalista escrevendo é outro nível. Consegue ser sucinto e ir direto ao ponto, sem perder tempo com firulas. Eu e Marília estamos pensando em nos aventurar em terras chilenas. Depois do que você escreveu sobre o peixe na culinária de lá, fiquei bem mais animado…

  3. Adorei suas dicas. A primeira foto do Post você tirou onde? Achei tão lindo!
    Você tem mais sugestões de restaurantes?

    • Olá Carla! A primeira foto eu tirei no caminho de volta do passeo da vinícola, eu acho. Todo lugar que eu via a montanha eu pegava a câmera e fazia a foto, hehehe. Bom, sugestão de restaurantes eu não sei se tenho muitas porque a gente não preocupou em anotar os nomes dos lugares. Íamos andando e onde achávamos um lugar para comer, a gente parava. Algo meio na sorte sabe? Foi bom que não erramos nenhuma vez. Na sexta, por exemplo, almoçamos em um restaurante da Feira dos Dominicos, que fica no final da linha vermelha do metro, e foi delicioso.É o único do lugar e estava ótimo. Lá não tem como errar: é só ver onde está cheio 😀 Abs!

      • Obrigada pela sugestão Manoela!
        Você acho uma boa escolha o hotel Orly? Estou pensando nesta opção mais ainda tenho dúvidas.
        Abraços

      • Olá Carla! Eu e meu marido gostamos muito do Hotel Orly. Os funcionários são extremamente educados e solícitos com tudo que pedíamos. É muito bom tb ter duas novas garrafas de água de graça todos os dias. O café da manhã é bom, tem boas opções de pães e bolos, mas não é nada espetacular. O quarto é super limpo e exatamente como nas fotos. A localização é ótima, fica perto da estação do metro da linha vermelha, que é que é mais perto dos pontos turísticos. Tem supermercado, restaurante, casa de cambio, padaria, tudo perto. Como o quarto tinha cozinha, fazíamos a nossa jantinha no quarto mesmo, bem mais barato e cômodo. Assim podíamos gastar mais no almoço e nos passeios.

        Na verdade só tivemos um problema: compramos 3 perfumes no DutyFree na ida e tirei a embalagem somente de 2, que era o que iríamos usar durante a nossa estadia. Quando fomos ver, o tereiro perfume sumiu dentro do quarto. Procuramos por todos os cantos e nada. Informamos ao atendente e ele mandou a camareira que arrumou no nosso quarto no dia anterior ir procurar com a gente no quarto. Não achamos. O atendente ficou super sem graça e disse que iria conversar com a gerente para ver como seríamos ressarcidos do preço do perfume (tínhamos nota fiscal, mas ele nem pediu comprovação). No final das contas, ele deu desconto da conta final no valor do preço do perfume. Mas isso não interfere na minha indicação do hotel, que é ótimo. Só ter mais cuidado com embalagens fechadas e colocar tudo de maior valor no cofre. Afinal, não tem como controlar todos os funcionários né?

        Espero que tenha ajudado na sua decisão!! Abs

  4. temos que reservar para ir em La Sebastiana?

  5. Em junho estivemos, eu esposa , filha e genro, em Santiago, ficamos no hotel Serrano (apart-hotel) localizado na rua com o mesmo nome bem proximo do palacio La Moneda, visitamos quase todos os pontos turisticos, citado por vc, fomos também no vale nevado, vinicula Santa Rita, uma outra vinicula proximo a vina del mar, que não lembro o nome, a vinicula concha e toro estava fechada (greve) bairro patronato, unico lugar que não gostei e fiquei com medo um ambiente nada agradavél e tudo que se ve são mercadorias da China, visitamos também relogio do sol em vina del-mar, almoçamos no restaurante Castelo em VIna, de frente para o oceano pacifico, muito caro. Foi muito bom fazer compras nos aeroportos tanto em Guarulhos como em Santiago, compramos perfumes, bebidas e até roupas de marca com preços bem agradavés. Em Santiago compramos bastante agasalhos principallmente de lã vendido nas ruas.
    Um detalhe que me chamou atenção foi a grande quantidade de cães de raça na rua, todos bem tratados, iclusive pelos policiais.

  6. Irei na próxima semana e ficarei hospedada em um flat na Providencia.
    Quando voltar conto o que achei…

  7. Luiz Eduardo de Barros Leal Reis says:

    Em setembro/14 irei ao Chile, saindo de Fortaleza com conexão em São Paulo, comprei o pacote com translado aeroporto?hotel/aeroporto, visita a vinícola Concha Y Toro, um city tour em Santiago e um dia de visita ao Valle Nevado, quero comprar quando chegar o pacote para Valparaiso e Vina del Mar, fiquei mais confiante depois de seu relato, já estou ansioso pela viagem.

  8. Parabéns pelo belíssimo Blog. Linguagem leve, clara e informativa.
    Gostaria de saber se é possível ir de trem de Santiago para Valparaíso e/ou outras cidades bacanas perto de Santiago.
    Muito obg.

    • Muito obrigada pelo elogio! De Santiago para Valparaiso e cidades vizinhas só é possível de onibus ou de carro. O trem só é entre Valpaíso e Viña del Mar. Abraços.

      • Philippi says:

        Em 2008 estive em Santiago e uma das minhas vontades era andar de trem. Escolhi um passeio próximo a Santiago, apenas para matar a vontade e fiz o trajeto – Santiago x Rancagua x Santiago. É um percurso pequeno (1:30 hora) mas, a mim pelo menos, satisfez. Em Rancagua negociei com um taxista e fiz um tur pela cidade e voltei para Santiago. Va de metro até a Estação Central e compre seu bilhete de ida e volta. Eu gostei…

  9. Teria como eu fazer o passeio a vina e valpo e a alguma vinicula?

  10. OLá Manoela, adorei suas dicas!
    Só uma curiosidades: Você comprou os ingressos para o concerto de piano na hora do concerto? No teatro mesmo? Obrigada. Camila

    • Oi Camila! Comprei no mesmo dia pela manhã, no teatro mesmo. Não sei se é o seu caso, mas lá tem uma ótima promoção para jovens abaixo de 25 anos. Se não me engano, vc tem um desconto bem grande se vc tiver até 25 anos e outro tipo de desconto se vc tiver até 30 anos. Abs!

  11. Oi gostaria de saber quando vc fez essa viagem a santiago em que ano? Pois vou em janeiro 2015. Obrigada

  12. Juliane Fernandes says:

    Bom dia Manoela, estou organizando minha viajem para o chile e pretendo conhecer valparaíso e vinã del mar no mesmo dia. Estava pensando em fazer da seguinte forma: Pegar o onibus da empresa Turbus ou pullman na rodoviaria de santiago bem cedinho como você fez minhas dúvidas são as seguintes, eu gostaria de passar pela casa de Pablo Neruda, Cerro Concepcion, Muelle Prat, Plaza Sotomayor, Cerro Artilleria e pegar o metrô para Vinã descer na estação em frente a praça Quinta Vergara passear por la e voltar andando até o Relojio de Flores, Castelo Wullf, Reñaca, e aquele museu que tem a estatua da ilha de pascoa. Me diz o que você acha dá tempo de fazer tudo isso em um dia? De que ponto a que ponto é indicado ir de ônibus/taxi? Seria muito cansativo fazer a pé? Estava pensando em pegar um taxi da rodoviária de valparaíso até La sebastiana (como você indicou) porém quanto custa aproximadamente para fazer este trajeto? E para ir a reñaca há alguma linha de ônibus ?
    As dúvidas são muitas, fico no aguardo e suas dicas.
    Obrigada

    • Oi Juliane! Bom, as dúvidas são muitas, mas pertinentes, hehehehe.

      Eu e meu marido fizemos isso tudo que vc listou a pé e de taxi em um dia só e acabamos que voltamos mais cedo do que esperávamos. A verdade é que o passeio que demorou mais foi a casa do Pablo. O resto é mais o tempo que vc quer ficar no local mesmo. Eu só não indico fazer TUDO a pé, principalmente os locais em Valparaíso. Os morros são enormes e gastam uma força nas pernas… Ficamos mortos de cansados, mas até que valeu a pena (pra quem gosta de “bater” perna). Os ônibus são muito desorganizados, cada hora uma pessoa mandava a gente ir pra um ponto diferente e o tal nunca chegava. Eu não lembro quanto pagamos no taxi, mas não é muito caro não. Eu lembro que achei o preço justo. Quanto a Reñaca, não sei se há algum ônibus que vai para lá.

      Boa viagem. Espero que tenha ajudado! Abs!

  13. Philippi says:

    Manoela, muito legal o seu relato. Em 2008 viajei sozinho e fiquei por lá durante 9 dias. Foi muito legal. Me hospedei no Bairro mais boêmio de Santiago – Bella Vista, no hostel de mesmo nome, Hostel Bella Vista. Foi minha primeira experiência com hostel (sensacional custo x beneficio) e repetiria agora em outubro de 2014, mas como vou com minha esposa vou ficar no mesmo bairro, mas num apart hotel. Próximo da estação Baquedano. em frente ao Patio Bella Vista, aos pés do Cerro San Cristóbal e La Chascona, entre outras atrações. Ficaremos 4 dias e pretendemos explorar, de forma compacta, tudo o que fiz em 2008, exceto a viagem de trem a Rancagua. Fiquei muito satisfeito com seus comentários pois mesmo tendo passados 5 anos as coisas não mudaram muito, inclusive os preços de Chile.

  14. Olá! Obrigada pelas dicas! Só atualizando, estou indo pra Santiago agora no dia 24/10 e segundo o que consta no site da Organização Pablo Neruda, não é mais necessário reservar ingresso antes para nenhuma das 3 casas dele! 🙂 Bjs

  15. Lucas Sansi says:

    Estou no Chile e suas dicas foram otimas, vou fazer um roteiro bem similar! muito obrigado! =)

  16. Gostei muito das suas dicas. De todos sites e blogs lidos esse foi o melhor.
    Estou pensando em ir agora a partir de 15 de julho com minha filha de 16 anos e meu bebê de 2 anos. O que vc me diz sobre criança nesse lugar. Indica ou acha q vai ser cansativo?
    Queria muito conhecer Val Parayso e Viña Del Mar
    Abraços
    Cintia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: